Celulares realmente interferem em aviões? E em postos de gasolina, qual o perigo?

Escrito na categoria "Comparação de smartphones e celulares" por André M. Coelho.

O setor de telefonia móvel tem tranquilizado os viajantes, dizendo que os telefones celulares não interferem com os aviões ou causam incêndios em postos de gasolina. Mas este mesmo setor afirmou que haviam estudos que comprovavam que a radiação de aparelhos celulares não causava nenhum dano mas pesquisas recentes comprovaram que há sim, uma relação com o aumento de casos de câncer. Eles falam a verdade agora?

Quais as preocupações quanto a aviões e postos de gasolina?

Basicamente, podemos resumir o medo dos aparelhos eletrônicos nas duas afirmativas seguintes:

O que é comprovado sobre os aviões e celulares?

Até agora, não há evidência que os celulares possam interferir com os sistemas da aeronave de dentro da cabine de passageiros. E apesar da ANAC proibir o uso dos aparelhos em voos, com exceção de voos da TAM que tiveram o uso autorizado recentemente, o órgão regulador da aviação brasileira não comprovou até hoje tal proibição com pesquisas, cabendo às companhias apenas aderir às exigências.

Aviões modernos são projetados para atender aos padrões internacionais de segurança rigorosos, incluindo a proteção abrangente dos sistemas eletrônicos e da fiação dos aviões. Estes requisitos de proteção são destinados especificamente para evitar a interferência eletromagnética. Na verdade, as aeronaves rotineiramente lidam com grandes fontes de energia eletromagnética, tais como sistemas de radar do aeroporto de alta potência.

Podemos dizer então que é um mito essa história. Mas como é regra, enquanto a ANAC deixá-la válida, só cabe a você seguir.

Perigo dos eletrônicos em aviões

Será que realmente é tão perigoso assim usar meus aparelhos eletrônicos no avião? (Foto: www.airspacemag.com)

E sobre celulares e postos de gasolina?

No que diz respeito às preocupações sobre o uso de telefones quando motoristas de automóveis estão em postos combustível, a quantidade de energia de radiofrequência emitida por telefones celulares portáteis modernos é muito baixa para causar uma faísca, o que poderia inflamar vapores de gasolina.

A preocupação com o uso do telefone celular em postos de gasolina foi baseada na crença de que havia um risco de que a bateria pode sair do aparelho ou se mover e causar uma faísca que pode inflamar o combustível, embora, ninguém tinha qualquer prova para apoiar esta opinião.

Na verdade, a própria estática do corpo de uma pessoa é mais suscetível de causar incêndios de gasolina. Um relatório de uma agência australiana, afirmava inclusive o seguinte: “Embora alguns incêndios foram reivindicados por serem causados pela explosão de telefones celulares, os especialistas posteriormente revelaram que nenhum dos incidentes foi associado com equipamentos de telecomunicações. Em vez disso, muitos dos incêndios foram incendiadas pela descarga de eletricidade estática do corpo humano.”

A série MythBusters já fez até um teste e provou que realmente, celulares incendiando postos de gasolina era realmente uma lenda urbana.

Considerações finais

Tais preocupações parecer até muito excessivas. Mas é bom esperar algumas pesquisas mais científicas para ter resultados mais confiáveis. Porém, enquanto as lendas não caem, resta a nós apenas obedecer as regras.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Quando André entrou na faculdade em 2004, notebooks eram ainda muito caros. Para anotar as informações, buscou opções, encontrando no Palm Zire 72 um aparelho para ajudá-lo a registrar informações das aulas. Depois, trocou por um modelo de celular com teclado, Qtek quando o 2G e o 3G ainda engatinhavam no Brasil. Usou o conhecimento adquirido na pesquisa de diferentes modelos para prestar consultoria em tecnologia a diversas empresas que se adaptavam para o mundo digital. André passou ainda por um Samsung Omnia, um Galaxy Note II, e hoje continua um entusiasta de smartphones, compartilhando neste site tudo que aprendeu.

Deixe um comentário