Celular com mancha na tela, o que fazer?

Escrito na categoria "Manutenção de celulares" por André M. Coelho.

A parte mais atraente do seu telefone é a tela, mas também é o componente mais delicado. É por isso que requer cuidado e atenção especiais. Os danos físicos à tela assumem principalmente a forma de rachaduras óbvias no vidro, mas você também pode encontrar o que parece uma mancha de tinta (borrão) ou pixels sangrando.

Celular com mancha na tela: o que fazer?

Quando o ponto preto está se espalhando na tela do telefone, você precisa substituir a tela. Se você tentar consertar o telefone sozinho, poderá causar mais danos, complicando o problema.

Por isso, procure a ajuda de profissionais. Felizmente, muitos centros de manutenção estão aptos para ajudá-lo a substituir a tela danificada por uma unidade original.

Os técnicos treinados tem uma grande experiência na correção de vários problemas com a tela de um telefone, oferecendo a você um serviço de substituição de tela sem falhas mais adequado ao seu modelo específico. Mas se você quiser trocar por conta própria, você pode seguir algumas dicas.

Por que a tela do celular está manchada?

Quando sua tela está rachada, ela se torna muito vulnerável. Devido a esta vulnerabilidade, o OLED ou LCD também fica danificado. O mesmo problema pode acontecer por causa de umidade próxima ao celular, ou muito calor próximo ao dispositivo.

Quando isso acontece, pontos pretos e / ou azuis e roxos podem aparecer na tela. Se um pixel individual for danificado, ele permanecerá desligado e também aparecerá preto.

Quando mais pixels forem danificados, os pontos pretos se espalharão pela tela do telefone como uma mancha de óleo. Embora existam algumas dicas fornecidas online para corrigir esse problema, aplicá-las pode causar mais danos ao seu dispositivo. A melhor linha de ação a seguir é buscar ajuda profissional.

Mancha na tela do smartphone

As manchas na tela podem ser causadas por uma série de motivos. (Imagem: Reddit)

Causas de manchas na tela do smartphone

As causas mais comuns de manchas na tela do smartphone incluem:

Sujeira ou detritos superficiais:

As manchas geralmente são causados ​​por nada mais do que sujeira ou detritos superficiais. Com o tempo, sujeira e detritos se acumularão na superfície das telas. Se não for verificado, essa sujeira ou detritos podem se manifestar como uma ou mais manchas. Os pontos não afetam o desempenho de uma tela, nem danificam os circuitos internos da tela. No entanto, é uma boa ideia limpar a tela se sujeira superficial ou detritos estiverem criando um ponto sujo.

Você pode limpar a tela usando um pano de microfibra sem fiapos umedecido – não encharcado. Com a tela desligada, esfregue suavemente o pano de microfibra na tela até que o ponto não seja mais visível.

Pixel preso

Outra causa comum de manchas em telas é um pixel preso. Como o nome sugere, um pixel preso é qualquer pixel em uma tela que é incapaz de mudar sua cor. Pixels são projetados para mudar de cor dependendo da imagem exibida na tela. Se a cor de um pixel não mudar, é considerado um pixel preso.

Dead Pixel

Não deve ser confundido com um pixel preso, um pixel morto também pode causar manchas pretas em uma tela. Qual é a diferença entre um pixel preso e um pixel morto exatamente? Um pixel preso será iluminado quando o LCD for ligado; simplesmente não muda de cor. Um pixel morto, por outro lado, não será eliminado. Em outras palavras, os pixels mortos têm todos os três subpixels – vermelho, verde e azul – permanentemente desligados. E, como não são iluminados, os pixels mortos parecem manchas pretas na tela.

Trocar tela do smarpthone é fácil?

Quando você deixa cair o telefone e a tela racha ou se estilhaça, seu maior medo em relação ao telefone se concretizou. As telas dos telefones podem ser caras para substituir, mas isso depende principalmente de qual tela você danificou.

Na maioria dos smartphones, há uma tela frontal que protege e aprimora a tela LCD ou OLED abaixo. A tela LCD ou OLED é a mais importante das duas e oferece todos os recursos de exibição, juntamente com a interface de toque, vital para o funcionamento de um smartphone. Seria melhor que a tela frontal fosse danificada do que o dano se estendesse para a tela. No entanto, você deve consertar a tela frontal o mais rápido possível. Se sua tela frontal for danificada, você ainda corre o risco de comprometer a tela principal, porque a tela frontal oferece menos proteção se estiver rachada ou estilhaçada.

Se você deixar cair o telefone e a tela estiver rachada ou estilhaçada, mas a tela ainda estiver acesa, provavelmente você danificou apenas a tela frontal. No entanto, se você vir linhas, pontos pretos ou áreas descoloridas, ou a tela não acender, é provável que sua tela LCD ou OLED esteja danificada e precise ser consertada. E não é uma troca muito fácil de fazer.

Esteja ciente de que substituir a tela LCD ou OLED será mais caro do que apenas substituir a tela frontal. Para evitar qualquer rachadura em primeiro lugar, é inteligente instalar um protetor de tela de vidro temperado em seu telefone para tornar seu dispositivo mais resistente a estilhaços ou rachaduras. Além disso, se você comprou um telefone de boa qualidade para começar, ele se sairá melhor contra os inevitáveis ​​solavancos e falhas.

Enquanto muitas pessoas experimentam telas de smartphones rachadas, se você tomar as medidas necessárias para proteger seu telefone, poderá escapar desse destino frustrante. E se por acaso precisar trocar a tela do seu smartphone, pesquise bastante se for fazer por conta própria, e tenha as ferramentas corretas em mãos.

Para recapitular, as manchas são normalmente causados ​​por sujeira ou detritos superficiais, um pixel preso ou um pixel morto. O problema mais fácil de resolver, é claro, é uma sujeira ou detritos superficiais. Em comparação, os pixels presos são um pouco mais difíceis de consertar, enquanto os pixels mortos são os mais difíceis de consertar. E, na maioria dos casos, não trocar a tela vai resultar em problemas na tela que só vão se agravando.

Dúvidas? Deixem nos comentários suas pergunta!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Quando André entrou na faculdade em 2004, notebooks eram ainda muito caros. Para anotar as informações, buscou opções, encontrando no Palm Zire 72 um aparelho para ajudá-lo a registrar informações das aulas. Depois, trocou por um modelo de celular com teclado, Qtek quando o 2G e o 3G ainda engatinhavam no Brasil. Usou o conhecimento adquirido na pesquisa de diferentes modelos para prestar consultoria em tecnologia a diversas empresas que se adaptavam para o mundo digital. André passou ainda por um Samsung Omnia, um Galaxy Note II, e hoje continua um entusiasta de smartphones, compartilhando neste site tudo que aprendeu.

Deixe um comentário