Muitas revistas estão lançando suas versões para tablets agora. Algumas delas fazem promoções especiais de desconto para quem compra a versão digital. Outras mantém o mesmo preço e não mudam nada. Para o primeiro caso, a compra é algo que vale a pena. Já para o segundo caso, precisamos avaliar algumas coisas.

Como a idéia agora é expandir o uso das diferentes plataformas, as empresas responsáveis pelas revistas físicas normalmente não fazem nenhum diferencial para suas revistas de tablet. Mas pense nas possibilidades: integração com vídeos, animações, fotos que te levam a sites. As possibilidades são muitas e já existem revistas que se utilizaram destes e recursos e valem cada centavo investido.

Agora, se a edição “online” não apresenta nenhum diferencial da edição Física, aí temos de levar em conta como e quando você mais lê. Se você é do tipo que sai muito de casa, com muito peso, quanto mais revistas ler, menos práticas ficarão suas caminhadas, devido ao peso que carregará. Agora, se você prefere ler no conforto de casa ou em ônibus, o tablet pode não ser tanta diferente assim em comparação ao livro físico.

É difícil analisar onde este mercado irá chegar. Com a abertura da Amazon no Brasil, esperamos que tanto revistas quanto livros online tenham seus valores reduzidos pois seus custos de produção são quase nulos e foi isso que expandiu o mercado online de livros e revistas no exterior. Antes de confirma a compra de uma revista para ler em um tablet também, faça um teste com alguns textos e veja se você gosta ou tem problemas para ler na tela de um tablet.

Formato digital para publicações

A tendência do mercado é cada vez mais revistas ganharem um formato digital. Porém, sem diferenciais, é difícil atrair o público para este formato. (Foto: digitaltrends.com)

Tenho muitos amigos que acham o tablet uma boa ferramenta mas nunca comprariam uma revista para tablet. Tem de ser levado em conta também o gosto pessoal na hora de escolher a revista digital ou a física. Hábitos de leitura também influenciam nessa decisão, pois muitas pessoas ainda não estão acostumadas à leitura de formatos digitais e preferem formatos “analógicos”.

Em nossa opinião, vale a pena a tentativa, principalmente para as revistas que realmente se esforçam em fazer um conteúdo interativo e focado no formato digital. Já foram lançados livros, como Alice no País das Maravilhas repletos de artes e animações interativas. E os valores nem são tão caros assim, compensando o investimento e garantindo a diversão.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)