Vale a pena trocar de celular com muita frequência?

Escrito na categoria "Comparação de smartphones e celulares" por André M. Coelho.

Hoje em dia é muito comum observarmos as pessoas trocando de celular (smartphones, na verdade) com uma frequência assustadora, sempre na tentativa de estar sempre com os modelos mais recentes e modernos no bolso. Mas será que todas estas trocas valem a pena?

É claro que muitas destas pessoas são apaixonadas por tecnologia e gostam de conhecer a fundo todos os principais lançamentos que as grandes marcas fazem, mas vale lembrar que a oferta de tecnologia em smartphones é tão gigantesca que talvez seja uma boa ideia estabelecer o que você precisa em um aparelho e mantê-lo até que ele se torne realmente obsoleto, e não só deixe de ser o mais recente lançamento do mercado. Veja o exemplo:

Hoje em dia, além de pensar nestes aspectos o usuário se depara com uma nova escolha: o sistema operacional do aparelho. Uma vez que os smartphones são praticamente computadores em miniatura, a escolha de um sistema operacional adequado também pode fazer a diferença. Os três grandes nomes deste setor são o Android, sistema livre atualizado pelo Google e baseado na plataforma Linux e que teve sua versão mais recente lançada há alguns meses (a JellyBean), o iOS, sistema operacional usado exclusivamente em smartphones e produtos da Apple e o mais recentemente criado, WindowsPhone, usado principalmente nos smartphones da finlandesa Nokia.

A escolha do sistema operacional pode ser bastante simples, bastando novamente focar em seu perfil, e um dos aspectos que podem ser observados é o seguinte: em geral os usuários mais curiosos e que valorizam a liberdade de personalização do telefone vão gostar mais do Android, enquanto os usuários com conhecimentos mais básicos vão se dar melhor com o iOS e WindowsPhone.

Android, iOS e Windows

Escolher o sistema operacional pode ser mais importante do que o smartphone em si, para alguns consumidores.

Enfim, é claro que trocar ou não de celular a cada lançamento é uma escolha pessoal e este artigo é apenas especulativo, apesar de acharmos que trocar de smartphone a cada novo lançamento talvez não seja uma ótima opção, já que raramente estes lançamentos trazem alguma novidade totalmente inédita ou alguma tecnologia inovadora.

Ainda assim, não deixe de contar nos comentários qual é a frequência com que você troca de aparelho e qual sua motivação para tal.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Quando André entrou na faculdade em 2004, notebooks eram ainda muito caros. Para anotar as informações, buscou opções, encontrando no Palm Zire 72 um aparelho para ajudá-lo a registrar informações das aulas. Depois, trocou por um modelo de celular com teclado, Qtek quando o 2G e o 3G ainda engatinhavam no Brasil. Usou o conhecimento adquirido na pesquisa de diferentes modelos para prestar consultoria em tecnologia a diversas empresas que se adaptavam para o mundo digital. André passou ainda por um Samsung Omnia, um Galaxy Note II, e hoje continua um entusiasta de smartphones, compartilhando neste site tudo que aprendeu.

Deixe um comentário