Hackear o WhatsApp pelo WiFi é possível? Bem, pode até ser, mas não é tão simples assim. Para hackear o WhatsApp pelo WiFi, seria necessário contaminar o seu smartphone com um malware para que o hacker pudesse acessar então seu WhatsApp. Isso não é impossível de fazer, apesar de difícil. Mas hackear o WhatsApp pelo Wifi, especificamente, é quase impossível.

Invadir WhatsApp pelo WiFi?

Se você veio nesse artigo com a finalidade de invadir o WhatsApp de alguém pelo WiFi, pense duas vezes. Há vários “tutoriais” para isso na internet. Porém, a não ser que você seja um pai ou mãe que está preocupado com o filho menor de idade, a invasão do WhatsApp pode ser até considerada um crime. E mesmo para pais preocupados há soluções melhores, como o uso de ferramentas de controle parental para monitorar o uso do dispositivo pelos mais jovens.

O que queremos fazer é mostrar um pouco da segurança do WhatsApp, e como se proteger melhor contra invasões.

A criptografia para evitar alguém espionar seu WhatsApp pelo WiFi

A criptografia é simplesmente uma forma de dois ou mais usuários trocarem mensagens com segurança. Algoritmos de criptografia são como uma caixa com dois cadeados. Por exemplo, se um usuário chamado Maria quiser enviar uma mensagem segura ao amigo João, ela a coloca a mensagem na caixa e a fecha com a chave. Em seguida, ela envia a caixa trancada para seu amigo João, que só pode abrir a caixa e ler a mensagem de Maria se ele tiver uma chave válida.

Mas, para poder se comunicar com novos usuários, você precisa de uma maneira de compartilhar chaves ainda seguras. Para superar isso, cada usuário tem o que é chamado de chave pública que está disponível para todos e comprova a identidade do usuário, além de uma chave privada que fica com o usuário. Maria usa a chave pública de João para fechar a caixa, mas ela só pode ser desbloqueada com a chave privada de João.

O sistema do WhatsApp adiciona mais um nível de criptografia, conhecido como “perfect forward secrecy”. Isso é como um segundo cadeado com uma chave que muda para cada sessão de mensagens. Quando Maria deseja enviar uma mensagem para João, ela primeiro gera uma nova chave de sessão, a coloca na caixa e usa a chave pública de João para fechá-la. Em seguida, ela a envia para João, que usa sua chave privada para acessar a chave da sessão. Os dois podem então começar a se comunicar com segurança usando essa chave de sessão conhecida apenas para criptografar suas mensagens.

Este sistema garante que não há uma chave única que dê acesso a todos os dados enviados entre Maria e João no passado ou no futuro. Em outras palavras, mesmo que uma chave seja comprometida, ela só irá desbloquear algumas mensagens antes de se tornar inútil.

Então, para espionar você pelo WhatsApp, alguém tem que possuir essas chaves. Que, diga-se por passagem, são praticamente impossíveis de “adivinhar” ou de usar programas para descobri-las. Então, a única maneira de alguém espionar ou invadir seu WhatsApp seria acessando diretamente seu aparelho.

Hackear WhatsApp

Hackear o WhatsApp pelo WiFi não é algo fácil, mas há alguns processos que podem possibilitar isso. (Foto: AppSpy)

Como invadir celular Android pelo WiFi?

Uma rede WiFi insegura, como redes públicas, são mais vulneráveis a ataques de hackers. Pessoas mal intencionadas podem usar códigos e inserir programas em seu dispositivo que podem espelhar tudo o que você faz no seu celular, eles podem tirar screenshots de sua tela, podem filmar sua tela para saber o que você está fazendo, e diversas outras coisas.

Então, apesar de não interceptar diretamente suas mensagens do WhatsApp, um malware ou aplicativo de monitoramento poderá sim, espionar o seu WhatsApp e enviar todas as suas mensagens para alguém.

Como evitar de alguém hackear o WhatsApp pelo WiFi?

Você deve evitar fazer root no seu dispositivo, se você não tem conhecimento do que é o root, como ele funciona e dos riscos que ele pode trazer. É bom também evitar o uso de redes públicas de WiFi. Prefira sempre usar os dados móveis do seu aparelho, que é uma maneira mais segura de se conectar à internet.

Por fim, como camada extra de proteção, é bom escolher um bom antivírus para seu celular e fazer verificações periódicas no seu dispositivo. Isso irá te ajudar a detectar possíveis problemas e apps ou códigos maliciosos no seu aparelho.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas para que possamos ajudar!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)